Connect with us

Polícia

Sem visita, famílias denunciam descaso e omissão de informações sobre detentos

Publicado

em

Além da suspensão das visitas, privados da liberdade estariam sem contato por cartas com seus familiares

A reportagem do jornal e site Folha Regional recebeu na semana passada várias ligações, mensagens por aplicativos e redes sociais denunciando sobre a falta de informações por parte das unidades prisionais sobre detentos que estão sob custódia do Estado e que desde o início da pandemia de Covid-19 permanecem sem receber visitas de seus familiares.

Os denunciantes apontam que tentam entrar em contato com as unidades prisionais da Nova Alta Paulista via telefone e que não obtém informações ou mesmo qualquer dado sobre o estado de saúde daqueles parentes que estão detidos, preocupação esta devido à própria doença que os impede de receber visitas.

“A preocupação é muito grande, diariamente temos recebido notícias de mortes dentro das penitenciárias e isso tem aumentado ainda mais o medo de perder um irmão, pai, filho, marido e outros familiares que estão lá dentro e tê-los enterrados como indigentes”, destacou uma familiar que preferiu não se identificar.

Ainda segundo os denunciantes, anterior à pandemia, cartas eram enviadas e recebidas com frequência aos detentos, respondidas com rapidez e traziam informações de como estava a saúde e o dia-dia de quem está no cárcere, porém, atualmente as correspondências enviadas estão sem respostas há vários meses o que aumenta ainda mais a angústia de quem espera por notícias.

SAP RESPONDE QUESITONAMENTOS DA REPORTAGEM

Visando esclarecer os pontos citados pelos denunciantes, a reportagem do jornal e site Folha Regional entrou em contato com a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP), via telefone, onde foi solicitado que os questionamentos fossem enviados por e-mail e assim que obtivessem respostas seriam esclarecidos.

Assim nossa equipe de jornalismo o fez, enviando entre as perguntas os seguintes questionamentos abaixo:

FOLHA REGIONAL: Familiares têm se queixado sobre a dificuldade de comunicação quando buscam informações sobre detentos que estão sob custódia do Estado nestas unidades (Osvaldo Cruz, Lucélia, Pracinha, Flórida Paulista, Pacaembu (fechado, semiaberto e CDP’s), Irapuru, Junqueirópolis, Dracena e Tupi Paulista), mais especificamente na região da Nova Alta Paulista;

Como estão o recebimento e envio de cartas nas unidades, mais especificamente na de Flórida Paulista?

Existe algum canal específico que pode ser utilizado para que os familiares possam obter informações sobre os detentos internos nas unidades?

Em seu posicionamento, a SAP respondeu: “Destacamos que a entrega de itens trazidos por visitantes aos presos, conhecido popularmente como “jumbo”,  por correspondência ocorre normalmente, assim como o recebimento de cartas pelos reeducandos”.

A reportagem da Folha Regional segue acompanhando o cenário do Covid-19 nas unidades prisionais da região e aberta através de seus canais de comunicação para denúncias, questionamentos e outras sugestões de pauta.

FALE COM A FOLHA REGIONAL:
folharegional@terra.com.br


Mais Lidas