Secretária vai a Brasília em busca de repasses para manutenção do CAPS e Residência Terapêutica

No começo desta semana a secretária municipal de Saúde, Manuelina Corpa, acompanhada pela chefe da Divisão de Unidade de Avaliação e Controle, Cristiane Bertasello Pereira, viajou para Brasília com o objetivo de pleitear o início do repasses de recursos federais para ajudar na manutenção do CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) e da Residência Terapêutica.

O pedido protocolado junto ao Ministério da Saúde tem a finalidade de amenizar o gasto que a Prefeitura de Pacaembu arca para a prestação destes serviço. Um valor mensal de R$ 86.900,00, o que gera uma despesa anual de R$ 1.050.800,00 entre repasse para a Santa Casa, pagamento de profissionais, medicamentos de saúde mental, alimentação, aluguel, energia, telefone, entre outras.

Manuelina conversou no MS com a assessora Simone e expos a situação, bem como destacou que desde a implantação dos dois órgãos Pacaembu  nunca recebeu nenhuma ajuda de custo.

“A representante disse que provavelmente começará ser feito o repasse do Residência Terapêutica em março ou abril deste ano. Mas para o CAPS ainda não há previsão. Mesmo assim, felizmente, já conseguimos 50% do que buscamos, agora é esperar para que o restante também seja autorizado”, declarou a secretária de Saúde.

O que também chamou a atenção ainda na conversa com a representante do Ministério da Saúde, segundo Manuelina, foi a informação de que essa parte estava tão desorganizada que havia cidades que não implantaram o CAPS ou RT e mesmo assim estavam tendo repasse, enquanto outras que implantaram não recebiam, como no caso de Pacaembu.

“Esperamos que o MS entenda nossa situação e colabore financeiramente, porque o Município tem arcado sozinho com todas as despesas ao longo desses anos”, finalizou a secretária.

 

Prefeitura de Pacaembu

 

MAIS NOTICIAS
Carregue mais